* Recife - PE info@kai.net.br tim 99945 1911 claro 99211 9923

Projeto TenChi

O projeto TenChi foi construido na decada de 70, em Sintra, Portugal, seguindo as orientações do Mestre Georges Stobbaerts, que contou com o apoio de seus alunos. O local foi sendo aos poucos habitado por arvores, plantas, jardins, lagos, dando origem a um Dojo que abrigou muitos encontros e vivências.

A Associação Kai Artes e Movimento está em sintonia com os ensinos que o projeto TenChi preconiza, havendo assim uma troca de vivências e inspiração aplicadas nas artes do movimento.

Enquanto que o mundo parece simultaneamente englobar e dividir, as atividades pluridisciplinares do Projeto Tenchi procuraram reunir, aproximar, trocar experiências. O objetivo do Projeto Tenchi é dar um sentido às Artes do Movimento desafiando as fronteiras entre Oriente e Ocidente mais no sentido da inclusão do que exclusão.

Constata-se há alguns anos uma predominância do presente, do instantâneo face a uma relativa depreciação  das tradições da Utopia. O sagrado e quotidiano tendem a fundir-se, apropriando corpo, espaço e tempo. Esta fusão inscreve-se cada vez mais no âmbito das relações sociais. O imediato propicia uma mediação entre o particular e o universal, entre o local e o global.

A evolução das diferentes correntes das Artes do Movimento reflete esta tendência e a encontramos no que há de mais criativo na dança, no teatro e nomeadamente nas artes marciais. Nelas a expressão do movimento leva à abertura do espaço ao infinito e os corpos sacralizam-se numa estética de uma grande pureza.

Será isto então, para a expressão e a criação artística, uma nova maneira de restituir ao quotidiano o Sagrado? No entanto uma certa globalização poderia pôr em perigo a essência das Artes do Movimento, guardiã de riquezas tradicionais que fazem parte do património mundial.

 

 Sonho ou Utopia?

“Deveria haver um lugar onde todo o ser humano pudesse viver livremente como um cidadão do mundo. Um lugar onde o despertar do homem e o seu progresso interior se fizessem na harmonia entre o corpo e o espírito. Um lugar onde as artes se encontrassem a fim de acordar as consciências. Um lugar consagrado a criar relações de fraternidade entre os homens e a fazer prevalecer a paz no mundo.”

Georges Stobbaerts – Ten-Chi – 1978

 

Georges Stobbaerts

 

Georges Stobbaerts dedicou sua vida às artes do movimento e fundou a Escola Tenchi Internacional. Na sua trajetoria deixou um legado de amor, disciplina e respeito as tradições.

 

Como um verdadeiro Mestre, sua maestria não veio de preceitos hierarquizados, nem de imposições intitucionalizadas, veio sim de uma conquista pura e generosa com que transmitia seus estudos e reflexões pessoais.

 

 

Nessa jornada deixou algumas obras literárias, tais como :

* RATA YOGA, 1977

* O SOPRO DO ESPIRITO, 1982

* AIKIDO – Harmonia do corpo e do espirito, 1989

* A ARTE DO MOVIMENTO E A MEDITAÇÃO, 1992

* TENCHI TESSEN – Arte e Movimento, 2000

* AIKIDO, A procura da unidade, 2001

* REFLEXÃO SOBRE O YOGA – Comentários ao Yoga – Sutras de Patanjali, 2008

* O CORPO E A REFLEXÃO TEATRAL, 2014

* MEMORIAS DE MARROCOS, 2015

* BHAGAVAD GITA De VYASA – O Evangelho da Vida Heroica, 2018

Criou na decada de 80 o Tenchi Tessen, como arte do movimento inspirada na sua jornada com as vivencias no Yoga, Aikido, Zen entre outras culturas de busca espiritual como os Deviches Rodopiantes, como reflexo da sua vivencia no Marrocos.

 

 

Assim dizia nosso amado mestre Georges Stobbaerts :

 

“A via do homem, enquanto ser mais precioso do Universo, é a benquerença e a relação justa. O homem só e verdadeiramente homem na medida em que as realiza: só então age como homem. O homem define-se pela virtude que faz dele um ser humano. Pela benquerença e pela relação justa, vai participar, profunda e eficazmente, no restabelecimento e conservação universal” – extraido do livro Reigi

 

Testemunha dessas convicções assim foi a vida do Mestre Georges Stobbaerts falecido em Portugal no dia 6 de Janeiro 2014, cuja memoria permanece vida em nossa escola. A Associação Kari Artes e Movimento agradece seu ensino, sua confiança e sua presença generosa em Recife e, nossa maneira de dizer profundamente “obrigado” será procurar ampliar e divulgar sua mensagem de amor e generosidade que nos legou.